Saltar para o conteúdo

O menino da lágrima

Setembro 23, 2017

2017-09-23_16-49-17-844.jpg

Há pessoas que nos inspiram

Setembro 21, 2017

vaselina

Há pessoas que nos inspiram, que nos levam a agir, há pessoas que nos marcam, que não nos deixam indiferentes, amigas do seu camarada, pessoas inteligentes tipo rei dos frangos, há pessoas que são realmente importantes para que o mundo ande ás voltas e se anda é porque elas existem, há pessoas que são tão importantes que se não existissem morria um pinguim dos pequenos, há pessoas que só comem a parte boa do toucinho para não causar colesterol ao resto dos camaradas, há pessoas que estão sempre lá para continuar a sugar o erário público em proveito próprio, umas vezes escondidos no meio duma lista, outras vezes por trás dum camarada, outras noutro concelho, é assim a omnipresença dos espertos que troçam da vida dos que vergam a mola para lhes pagar os pudins que sabem sempre ao suor do esforço da existência em prol de si próprios, porque se o foram ou chegaram a ser, não foi por saber fazer, mas por parecer.

E são essas pessoas que mudam de facto o nosso mundo e se escondem no meio dos programas eleitorais da CDU de Viana do Alentejo, pagina 3, quarta foto, blusa vermelha… sim aquele gordinho anafado com aquela carinha farrusca.

Era isto ou manda-lo para o caralho, mas não sou mal educado e amanhã tenho que ir vergar a mola tal como milhões de pessoas que se reinventam todos os dias para fazer o mundo rodar em volta da barriga destas bestas inteligentes que continuam a gozar à vara larga com os idosos que ainda conseguem ir votar no concelho de Viana do Alentejo e nos outros concelhos por onde passam, com um sorriso que inspira pessoas como eu.

Obrigado Bengalinha, João Pereira, Paulo Manzoupo

Setembro 19, 2017

21765457_1490191924408010_2475962066042199689_o (1)

Tenho assistido de fora mas sempre com muito interesse ao que se vai passando no concelho de Viana do Alentejo, quando por ai passo dou dois dedos de conversa, mas todos os dias digo olá aos amigos que ai deixei há já quase 3 anos nem que seja pelo facebook. De facto adorava estar ai a lutar ao lado dessa gente boa que mudou o concelho de Viana do Alentejo com transparência, humildade e acima de tudo com muita vontade.

Tudo começou em 2007, com um grupo pequeno de pessoas com vontade de voltar a colocar Viana no mapa de Portugal, que se transformou numa enorme onda que mudou de facto o concelho e se o inicio foi tímido, hoje com a casa arrumada a obra vê-se em cada canto do concelho e é a observar a obra que me recordo das pequenas reuniões do movimento unidos pelo concelho de Viana do Alentejo (um movimento popular de gente independente que queria mais pelo concelho que ia crescendo a cada semana) e verifico que ano após ano todas aquelas ideias, umas mais utópicas outras mais realistas, começam a aparecer no mapa de Viana. Enquanto isto acontecia, em 2009, a CDU prometia ampliações do cemitério e fazia casas de banho em Aguiar e pelo concelho fora, troçava das pessoas e ria com o rei na barriga, felizmente foi com um enorme contentamento que a maioria do concelho decidiu mudar o concelho.

Viana é hoje um sitio mais plural, faz parte de Portugal e é acima de tudo um lugar de liberdade onde há um caminho percorrido e outro tanto para percorrer, a obra fala por si.

Obrigado Bengalinha, João Pereira, Paulo Manzoupo, e mais um monte de gente que vestiu esta camisola da mudança, no dia 1 de Outubro lá estarei na junta de Aguiar para vos agradecer com o meu voto toda a dedicação e se tudo correr bem fazer um brinde com o Alexandre.

Já agora, quem é o Estevão este ano?

João Penetra Murcho

Setembro 29, 2013

João Penetra Murcho

Onda gigante azul….lol

Setembro 24, 2013

Onda gigante azul....lol

Aguiar vai mudar

Setembro 24, 2013

Vivo em Aguiar já vai para 9 anos, assisti a três combates políticos, um em que não participei porque não era ainda eleitor e dois em que participei por vontade própria, porque senti que este concelho precisava de mudar, emprestei o que sei, nunca deixei de ser original e de dar ideias a toda a gente, independentemente do quadro politico e isto tudo porque um dia decidi fazer aqui a base para a minha vida.

Tenho 3 filhas, duas Aguiarenses, outra que não conheceu mais sitio nenhum, estudam todas no concelho de Viana do Alentejo por opção, vivem aqui os seus dias, têm aqui os seus amigos e sentem Aguiar como qualquer Aguiarense de 80 anos, não o são menos, nem nunca o vão ser, porque lhes ensinei a criar raízes.

Assim tenho a consciência de que tal como eu, no futuro, tudo farão para ver o seu concelho e a sua freguesia a caminhar para um sítio melhor e por isso mesmo aprenderam que o conformismo é uma ideia do passado e que os clubismos levam à exclusão. Aprenderam que tudo o que nos une nos faz mais fortes e a acreditar na sua própria individualidade.

Naturalmente que as minhas filhas, não pertencem à geração da casa de banho pública. É verdade, já nasceram com a possibilidade de poderem ir à casa de banho na sua própria casa, tal como a maioria dos Aguiarenses, senão mesmo todos. Assim deixo uma pergunta aos candidatos da CDU pela freguesia de Aguiar, para quê tanta casa de banho?

Ainda ontem estávamos sentados à mesa e a minha filha mais velha perguntou em quem eu ia votar nas eleições aqui em Aguiar e foi exatamente nesse momento que eu senti que devia mesmo votar e explicar-lhe o que era o voto consciente.

Assim comecei por explicar-lhe primeiro que os partidos nada tem que ver com os clubes de futebol, dei o meu próprio exemplo, já fui militante do PSD, votei muitas vezes no PSD, mas também já votei PS em Viana do Alentejo e CDU em Évora, não tenho quaisquer complexos de voto, voto nas pessoas e no que acredito que podem fazer e aproveitei para lhe explicar que as pessoas que se servem da politica para serem alguém, são normalmente pessoas sem capacidade e sem ideias e que as pessoas que vão para a politica porque a politica precisa delas são exatamente o contrario. E que para se estar na vida, para nos podermos mostrar aos outros como um exemplo, não basta dizer que gostamos de azul e que toda a gente gosta de azul, cabe a cada um de nós procurar a sua cor e fazer os outros acreditar que a cor ideal existe.

E em quem vais votar pai?

O pai vai votar nas pessoas que depois de serem alguém, depois de procurarem o seu caminho, depois de darem a mão aos seus amigos, independentemente da força politica que os move, decidiram fazer uma candidatura para a junta de freguesia de Aguiar.

E quem são?

O Alexandre, o José Luis e a Filipa, entre outros, mas são estes que vão à frente.

E porquê?

Porque para mim representam o que eu mais respeito, a independência, a solidariedade, a originalidade e a vontade. Sei que essa foi a razão da sua escolha e representam juntamente comigo e com outras pessoas que se querem muitas a votar no dia 29 de Setembro de 2013, o momento da mudança em Aguiar. Um género de, basta de casas de banho.

Mas reduzir este direito do voto ao “basta de casas de banho em Aguiar”, não é justo para com a candidatura pelo PS em Aguiar, na realidade reconheço a todos os candidatos que envolvem esta candidatura características únicas que os diferenciam dos demais, até porque o filme que estou a ver nas listas da CDU já se passou à 8 anos atrás e foi mau demais.

Conheço o Alexandre desde que para cá vim, é um líder, somos amigos, reconheço-lhe trabalho e honestidade, é um amigo de Aguiar, adora a sua terra e os seus amigos, é dirigente político na concelhia de Viana do Alentejo e representa uma mais-valia na hora de unir os apoiantes do PS, em relação ao José Luis Rocha, é naturalmente a pessoa que mais vende Aguiar, é um blogger de méritos reconhecidos, altamente dinamizador e criador de eventos que enchem a vila de Aguiar de gente que vem de fora, uma pessoa de mente aberta e sem complexos, O José Luis Rocha é um homem com tempo que vai dedicar na integra à vila de Aguiar. E a Filipa, minha vizinha aqui no bairro novo até há bem pouco tempo, a Filipa representa o que eu gostava de ver nas minhas filhas, o método, a vontade e a abnegação de sonhar ser mais sem sair da cá. Esta é uma lista cheia de coerência, com pessoas capazes de fazer algo diferente por Aguiar, não tenho a mínima duvida.

No domingo dia 29 de Setembro de 2013, vou votar PS na freguesia de Aguiar pelas razões óbvias. Acabou o conformismo na Vila de Aguiar, toca a acordar, Aguiar vai mudar.

 

Bom trabalho Alexandre, José Luis e Filipa!

O acidente

Setembro 20, 2013

Vamos supor um cenário, no próximo dia 29 de Setembro de 2013, João Penetra e as seis pessoas que votam nele, isto já incluídas as pessoas que enchem as listas da CDU para o concelho de Viana do Alentejo ganhavam as eleições porque o boletim municipal foi distribuído em plena campanha eleitoral. Vamos admitir que a queixa apresentada pela candidatura da CDU era validada por um tipo qualquer na Comissão Nacional de Eleições, o tipo lia aquilo e metia lá um carimbo a dizer aprovado, agora a população do Concelho de Viana vai ter que mamar com os gajos.

Vamos admitir o cenário em que eramos governados pelo Ex-presidente da Camara de Alvito, beato de sacristia, duplo da cruz vermelha, coadjuvado pelo anticristo dos Açores e pelo Pedro de Aguiar, para que fique registado, bom moço no trato.

É sempre aqui que me fico, antes de qualquer coisa, mesmo antes sequer de pensar no trabalho que foi realizado pelo atual elenco na Camara de Viana é meritório de um aplauso. No fundo sou como a maior parte das pessoas, tenho sempre a tendência de ficar a imaginar o acidente, neste caso até arriscaria a dizer que gostava de poder ver o acidente.

Mas passemos à frente, na realidade pouco posso dizer da candidatura da CDU, reconheço a capacidade do Dr. João Penetra em tomar posses em cargos políticos e associativos, pelo que até aqui tudo bem, também lhe reconheço a experiencia em termos de demissão dos cargos que tem ocupado, ao não ter acabado o mandato na camara de Viana do Alentejo e agora esta fuga de Alvito, local onde vai deixar saudades ao senhor que vende pneus e a duas senhoras já incontinentes, por isso prevejo um acidente cheio de estilo, tipo, tudo dentro do mesmo carro e mesmo antes de bater, ver o maroto a saltar pela janela a acenar e a cantar, “o povo unido vai ficar todo moído”.

Na realidade estamos perante duas candidaturas muito distintas, uma que aposta na continuidade do bom trabalho ao serviço da população do concelho de Viana e outra que vem daqui e dali a ver se tem pouso aqui.

Tenho estado à espera da festa de despedida que o povo de Alvito preparou para o Dr. Penetra, aquela que ia ter um discurso de saudade, aquela em que as pessoas lhe iam pedir para ficar mais um mandato em Alvito, mas compreendo que por motivos de agenda não possa ser realizada. Na realidade reconheço coragem nesta candidatura da CDU, lutar contra o Bengalinha numa altura em que este mostra o maior volume de obra feita num mandato em Viana do Alentejo, mesmo com todos os constrangimentos que existem no país a nível económico, não está ao alcance de qualquer um.

 

Até parece que os estou a ver em plenário:

Presidente lá da cena da CDU – Camaradas, quem é que se vai queimar para Viana do Alentejo?

Rapaz forte – Vou eu!!

Presidente lá da cena da CDU – Foda-se Estevão, és sempre tu a mamar???

Rapaz forte – Pronto vai o fuinha.

Fuinha – Estive aqui a ler no diário da república e posso ser eu

Presidente lá da cena da CDU – Mas tu estas em Alvito

Fuinha – lol

Presidente lá da cena da CDU – lol

Rapaz forte – Olha leva a anticristo dos Açores

Fuinha – foda-se!

Presidente lá da cena da CDU – aprovado!

Rapaz forte – Cona da mãe e por Aguiar?

Presidente lá da cena da CDU – Um que tenha a família grande.

 

E pronto está feito, é assim, depois de uma longa meditação, fez se um almoço e arregimentou-se a malta, a “marca” CDU, preparou uma equipa boa a ler diários da república e outras coisas, são uns sofistas do apocalipse.

Já os estou a ver de volta dos Diários da Republica a ver se podem lixar alguém, estou a imaginar a volta que vão dar no município e aquelas reuniões de Camara com agua benta e exorcismos, livra te disso Pedro, livra te disso.

Mas a democracia é assim, há que eleger um representante, porque se não fosse necessário a esta hora já tínhamos o Dr. Penetra sentado na cadeira do Bengalinha, tipo rato com uma pasta na mão e o boletim municipal na outra a gritar, em Alvito nunca mais me apanham.

E é isso que me entusiasma nestas eleições, perceber quantos votos vai ter a candidatura da CDU, se vai passar a barreira emocional dos 6 votos, ou se por alguma razão absurda chega aos 15 ou 16. Senão vejamos, temos um parque escolar novo, um município eficaz no atendimento ao munícipe, um presidente presente e aberto à população, uma força politica bem articulada com o poder central que tem trazido para o concelho mais-valias muito importantes. Revitalizou grande parte das artérias em más condições, promoveu o embelezamento das vilas, foi garante da promoção do desporto ao ajudar a financiar grande parte das infraestruturas das associações, nomeadamente o enrelvamento dos campos de futebol. Há finalmente projetos concretos para Aguiar e para Alcáçovas e neste momento estamos a assistir à grande obra deste executivo, a requalificação do centro histórico de Viana do Alentejo. Fez mais o Bengalinha em 4 anos muito complicados do que o anterior executivo em 12 no tempo das vacas gordas. E não estou a falar só de obra, também falo nos aspetos culturais e recreativos. E é neste cenário, em cima da feira d’Aires que habitualmente sai o nosso boletim municipal, é assim desde sempre e até aqui, no boletim municipal se podem ver as grandes diferenças, o boletim é hoje uma bandeira plural e não apenas uma ferramenta de arremesso politico, é feito para a população e tornou se num documento valido para a democracia representativa.

É este mesmo boletim que veio trazer a esperança ao Dr. Penetra e á sua equipa, um dia no meio de um nevoeiro, o Dr. Penetra foi à caixa do correio e zás, lá estava o bicho, uma publicação municipal que eu esperava ansiosamente pelas razões exatamente opostas às do Dr. Penetra. Onde eu vi informação o Dr. Penetra viu oportunidade.

Temos portanto aqui dois homens, um como nós e outro que é politico, vais votar em quem?

Força Bengalinha!

Setembro 19, 2013

Bengalinha Pinto, um candidato, um projecto, um voto!!

Abril 16, 2013

Por Frederico Nunes de Carvalho no Alcáçovas

 

Este texto foi devidamente ponderado por todos os motivos que exigem serenidade e reflexão no apoio a um candidato, mas sobretudo por fazê-lo a alguém que foge significativamente à minha matriz ideológica. Acresce neste âmbito que um candidato autárquico é muito mais a pessoa, a equipa e o projecto do que o apoio partidário que traz na sua rectaguarda. No caso de Bengalinha Pinto, da sua equipa, do seu mandato em curso e da sua já anunciada recandidatura o trabalho desenvolvido e o projecto apresentado falam por si e são naturalmente e inequivocamente um estímulo para mim enquanto cidadão no desafio autárquico.

Sobre a candidatura de Bengalinha Pinto como independente apoiado pelo PS, apraz-me dizer que em boa hora Viana do Alentejo contou com este gestor autárquico. Confesso que o conheci após a sua vitória nas autárquicas de 2009, mas esse conhecimento foi-se consolidando, transformando-se numa amizade e profunda admiração por todo o trabalho desenvolvido em prol do concelho e igualmente pela estratégia que gizou para o seu futuro. O que vinha de trás era um bafiento executivo comunista que teimava em abrir as portas do desenvolvimento ao concelho, fazendo meras obras de regime, muitas delas completamente desnecessárias e inoperantes apenas para marcar um cunho do seu mandato com obras faraónicas de betão. Criou muitas infraestruturas de lazer para jovens quando o que este concelho vinha precisamente perdendo era a aposta no futuro e nos seus jovens. Não vale a pena construir uma casa pelo telhado e Bengalinha Pinto preocupou-se e ainda se preocupa em criar condições para que a economia local seja revitalizada e que a iniciativa privada seja bem-vinda e próspera dando desta forma melhores bases para um futuro sustentável do concelho. Não lhe interessa o oportunismo de ter a sua edilidade como o principal empregador do concelho, nem o populismo e a tentação de acatar as solicitações de inúmeras associações e entidades locais como forma de comprar a posteriori o seu apoio eleitoral, como foi sendo regra no passado. Criou uma vasta plataforma de entendimento e de discussão sobre a economia local (GADE), estimulou a parceria entre associações para rentabilizar os seus horizontes, redimensionou iniciativas criadas no passado, mas adaptadas às novas exigências económicas, apostou na melhor qualificação técnica e na informação dos seus munícipes, aprofundou a sua aposta nas actividades lúdicas e culturais rentabilizando os espaços concelhios para o efeito, empreendeu um massivo apoio de âmbito social, também este resultado directo da crise que se atravessa, criou marcas âncora para o concelho como são disso exemplo os chocalhos das Alcáçovas e a olaria de Viana do Alentejo, prossegue a indispensável renovação das infra-estruturas básicas de saneamento, apropiou-se como devido interesse do projecto do Paço dos Henriques e prepara-se para finalizar umas das mais importantes ferramentas para o desenvolvimento do concelho que é o PDM de Viana do Alentejo. Admito que não foram ainda alcançados os melhores resultados possíveis ou desejáveis, no entanto acho que é este o caminho, trilhado com seriedade, ponderação, trabalho e muita esperança no futuro do concelho. E assim Bengalinha Pinto vai seduzindo muitos cidadãos e eleitores como eu que, ao contrário do vetusto passado, ignorou as tentações megalómanas e estéreis apostas, para dar uma real dimensão ao concelho e aos seus horizontes futuros.

Se há alguma área onde gostaria de ver o executivo de Bengalinha Pinto apostar mais na área económica era sobretudo no apoio à actividade agrícola pela sua importância no desenvolvimento económico local e da empregabilidade no concelho, bem como na área do turismo e, neste segmento no turismo cultural pelas quase inesgotáveis oportunidades que há para desenvolver e rentabilizar em prol de um desenvolvimento sustentável. A aposta na área da Cultura será algo que irei desenvolver mais adiante, pela importância estratégica que julgo que poderá vir a ter no estímulo ao turismo e consequentemente à economia local.

Dito isto, não gostaria de terminar sem fazer um apelo às estruturas locais do PSD e CDS-PP para que se unam verdadeiramente em prol do concelho e nesse diapasão, reconhecendo o bom trabalho desenvolvido pelo actual executivo e admitindo igualmente que será muito difícil reunirem algum candidato que possa ombrear com Bengalinha Pinto, encetam um apoio conjunto à sua candidatura dando uma cabal demonstração de seriedade e objectividade em política, actualmente tão gastas pelas duvidosas opções dos nossos dirigentes político-partidários. Sou democrata-cristão e não me custa nada apoiar desta forma uma candidatura que me parece séria, determinada e sobretudo capaz de dar ao concelho um novo rosto, preocupada com a fixação de gente no concelho, com o estímulo à economia, da qualificação e educação dos seus munícipes e de uma solidariedade social para com quem mais necessita. Neste momento não me parece oportuno, nem justificável sequer que existam candidaturas provenientes do espectro político da Direita em Viana do Alentejo, pelo trabalho desenvolvido pela actual equipa e até pela eventualidade do voto útil utilizado na candidatura de Bengalinha Pinto para fazer face a outra forte candidatura proveniente do PCP poder dar resultados residuais e desoladores para as possíveis candidaturas de CDS-PP e PSD.  Assim, exorto os responsáveis políticos a medirem bem as virtudes de novas candidaturas, quando neste momento existe já uma fortíssima opção, espelhada em Bengalinha Pinto, um candidato, uma equipa e um projecto!!

Entrevistas improváveis

Abril 2, 2013

 

Repórter PB – Como classifica o mandato de João Penetra em Alvito nestes 3 anos e picos que passaram?

Munícipe de Alvito – Bom, muito bom para as pessoas, ri-se muito e ajuda muito nas passadeiras

Repórter PB – Acha o candidato bonito?

Munícipe de Alvito – Gosto mais sem óculos, mas tem a sua graça, é pequeno, os candidatos pequenos têm muita graça

Repórter PB – Se soubesse que o candidato vai abandonar a Camara de Alvito para se candidatar à Camara de Viana do Alentejo, que diria?

Munícipe de Alvito – Diria que vai ajudar muita gente nas passadeiras e qua vai cá fazer muita falta nas associações de reformados. Agora que me diz isso, até fiquei com vontade de ir viver para Viana.

Repórter PB – Acha que a saída do Presidente Penetra da Camara de Alvito tão prematuramente vai trazer alguns transtornos à circulação de peões nas passadeiras?

Munícipe de Alvito – Certamente que sim, o João Valério é bom a dançar o fandango, mas nas passadeiras não tem dado muito nas vistas, Alvito vai perder um grande homem que contava com ele não sei bem para quê, mas era uma simpatia, uma vez ficou ao meu lado na missa.

Repórter PB – Acha que a Camara de Alvito vai ficar à deriva durante estes últimos meses de mandato sem o camarada Penetra?

Munícipe de Alvito – à quê?

Repórter PB – À deriva

Munícipe de Alvito – Não sabemos ainda, na realidade sinto alguma ansiedade, acho que vou tomar um diazepan e dormir um bocado

Repórter PB – Se o Candidato Penetra se recandidatasse outra vez por Alvito, votava nele?

Munícipe de Alvito – É pra dizer que sim?

Repórter PB – É para dizer o que quiser

Munícipe de Alvito – Não sei, a CDU é que depois mandava dizer para a gente saber em quem votar.

Repórter PB – Já votou alguma vez sem ser na CDU?

Munícipe de Alvito – Sim, uma vez na APU e outra no PCP, sou muito independente no voto.

Repórter PB – Olhando agora aqui para o concelho de Alvito, acha que o Presidente Penetra deixa alguma marca

Munícipe de Alvito – Claro que sim, na estrada de Viana estão lá duas travagens dele à chegada, as outras são arranques quando parte.

Repórter PB – Muito obrigado pela entrevista concedida

Munícipe de Alvito -Eu é que agradeço, boa sorte ao Sr. Penetra, boa sorte nesta campanha para ganhar a Camara de Alcáçovas

arquivamento de inquérito

Março 25, 2013

O peixe banana, tem vindo ano após ano a relatar factos e a fazer critica satírica aqui no concelho de Viana do Alentejo, não teve qualquer intenção de prejudicar ninguém no seu trabalho e sempre que se pronunciou sobre qualquer aspecto social, económico ou pessoal, foi numa lógica puramente cívica, criando grupos de pressão para alertar factos que são propriedade de uma comunidade, alertando para uma maior participação cívica dos munícipes eleitores. Não substitui poderes, mas dá opinião.

A sua linha de rumo, assenta numa analise critica das questões politicas e sociais do concelho e é puramente pessoal, naturalmente que há pessoas que não entendem as coisas da mesma forma e é essa a maior vitória que o  25 de Abril nos deu, pelo menos para mim, a liberdade de expressão e a possibilidade de nos podermos queixar e defender nos locais próprios.

O documento que aqui anexo tem exactamente a ver com este blogue, o Peixe Banana, na minha pessoa foi acusado e fui constituído arguido, defendi-me e o processo foi arquivado pelos motivos abaixo mencionados, só foi tornado publico a partir desta data e decidi publica-lo por pertencer a este tempo de liberdade e porque deixou de ser segredo de justiça.

Aproveito para tecer aqui alguns comentários acerca da pessoa que apresentou queixa de “difamação agravada”. Não lhe guardo algum rancor, tal como nunca a quis prejudicar na sua carreira, sinceramente até aprecio quem toma partidos e defende causas e convicções e quer andar com a sua vida para a frente, na realidade eu não tenho qualquer poder para poder julgar alguém, posso quanto muito tecer considerações pessoais e só o faço na defesa de causas publicas. Acrescento que todos os textos de ficção que aqui publiquei, não retratam pessoas reais, são tão somente um espelho da sociedade em que estamos integrados.

Foram omitidos no documento que a seguir se segue, algumas moradas e os nomes das testemunhas, o mesmo pode ser consultado na integra nos órgãos que decidiram o arquivamento do mesmo.

Aproveito para dizer que tenho amigos de todos os quadrantes políticos e não me insiro num determinado conceito politico, sou livre na minha atitude e na minha qualidade de eleitor e acredito na liberdade com responsabilidade, por isso dei sempre a minha cara, não me assumo nem nunca assumi como detentor de verdades absolutas e não sou candidato a nada, não me sirvo da politica e sou apenas um português que tenta ganhar a vida conforme pode.

Sem querer estar a associar esta queixa a uma tentativa de silenciar o Peixe Banana, agora que se dá inicio a mais uma nova campanha Autárquica, não deixo de pensar que se houve essa intenção, não seria isso que me demoveria de dizer o que penso da mesma forma que o tenho feito até aqui.

Para concluir, agradeço a quem me acompanhou neste processo.

Obrigado Ana.

img028img029 img030 img031


img032aimg033

img034img035img036

 

 

Reeleger o Bengalinha

Março 21, 2013

Reeleger o Bengalinha

it doesent get better than this

Março 21, 2013

Imagem

 

 

O peixe banana tem estado muito parado, mais por falta de motivação do que outra coisa, na realidade temos atravessado tempos difíceis o que fez com que me afastasse um bocado das escritas e até mesmo dos noticiários, esta espiral recessiva que parece não ter fim acabou por tocar a todos, no entanto nunca deixei de ser de causas e na realidade é isso que me motiva, as pessoas e o seu querer.

Há quatro anos decidi apoiar a candidatura do Bengalinha, depois de uma grande campanha com muito envolvimento da população, muito dinâmica e acima de tudo muito transparente, o Bengalinha foi eleito com maioria, de notar que o anterior elenco governativo da Camara de Viana do Alentejo estava gasto, inanimado e a desorganização era por demais evidente, mas num concelho com votos clubísticos e com pouca mobilidade partidária conseguiu mesmo assim ter um resultado surpreendente.

Com isto quero dizer que mesmo sem fazer nada, a candidatura CDU em 2009, ainda teve um porradão de votos.

Para esta candidatura o Bengalinha defende a Camara e tem novo opositor, João Penetra, atual presidente da Camara de Alvito, eterno candidato à Camara de Viana do Alentejo, Católico, Associativista, Politico, Gestor de Empresas e aos fins-de-semana, duplo das ambulâncias da cruz vermelha.

João Penetra não vai ser tarefa fácil para Bengalinha Pinto, sabe jogar ao jogo da política, muito mais oficioso que oficial, sabe ler nas entrelinhas e quando damos por ele, já está ao nosso lado na fila do supermercado em Viana só para comprar uma banana. É com isto que a candidatura de Bengalinha Pinto se tem de preocupar, com as aparições de Fátima e o milagre da aparição em todos os montes e vales, às cambalhotas, a rir e a prometer o milagre da multiplicação associativista.

Naturalmente que todos reparámos que os tempos mudaram, as dificuldades são imensas, mas surpreendentemente estes quatro anos foram anos de obra e de relançamento de novos projectos, uns concretizados, outros por concretizar, tamanhas foram as impossibilidades criadas pelo acesso aos dinheiros comunitários. Gerir a Camara de Viana do Alentejo, com um orçamento reduzido, sem recurso ao crédito da mesma forma que foi em tempos, tornou-se tarefa complicada, João Penetra também o deve ter sentido em Alvito, se bem que com muito menos obra.

A Camara de Viana foi no entanto proactiva e procurou muito democraticamente ir a todas, foi parceira e renovou a sua imagem, criando bases para o futuro sem comprometer o munícipe. Colaborou com as freguesias equitativamente e abriu espaço democrático no boletim municipal, não foi só Bengalinha Pinto como foi em tempos só Estevão Pereira, foi município e foi nesse âmbito que se abriram portas para o bom relacionamento intermunicipal, Viana do Alentejo continua a padecer de alguns males que de certa forma se agravaram com esta recessão profunda, mas está hoje presente nas instituições e conhece o seu futuro. Esta é a razão que me leva a querer participar nesta campanha ao lado do Bengalinha Pinto.

Naturalmente que nem tudo está bem, isso seria quase impossível, não há deuses do olimpo na política, na minha opinião existem algumas coisas que por alguma razão não resultaram, no caso da DAU, foi por demais evidente, passamos de uma atitude totalmente permissiva (a qual trouxe grandes complicações ao atual elenco) a uma atitude de defesa permanente, penso que aqui tenha que ser feito qualquer coisa que liberte os técnicos do peso do investimento que se pode ter perdido, a meu ver, mais politica, menos técnica, melhor assessoria jurídica, mais colaboração com o investidor e acima de tudo, mais presença nos atos de decisão.

De resto pouca coisa mais a acrescentar, não vale a pena falar do desemprego que esse foi um mal nacional, nem da crise, nem da falta de dinheiro que todos sentimos hoje na carteira, esse não é o objetivo desta campanha, o objetivo desta campanha é unicamente eleger Bengalinha Pinto novamente no Município de Viana do Alentejo e logicamente tentar perceber porque não concorre novamente João Penetra ao Município de Alvito.

Dito isto, a campanha está aberta aqui no peixe banana, os comentários são moderados com muita pena minha.

Boa sorte aos concorrentes

MUNDO DE JONET

Novembro 8, 2012
tags:

Na antologia do esquecimento

Camarada Van Zeller, as ciganas do meu bairro excitam-me. As novas e as velhas. Estas porque vestem saias compridas, geralmente negras, não vão à cabeleireira e levantam-se cedo para apanhar caracóis. As outras porque parecem putas, vestem-se como putas, entram e saem de carros suspeitos, tal qual putas. E as putas excitam-me. As ciganas do meu bairro vivem no mundo de Jonet, apesar de não lavarem os dentes. Suponho que não os lavem porque ou os não têm ou os têm estragados. A pasta de dentes está pela hora da morte, não oferecem detergentes para a boca na benfeitoria, só sopa de caracóis. É preciso poupar para ir ao bowling beber café, já que não dá para ir ao concerto de rock. As ciganas do meu bairro nem sequer gostam de rock, o mais rock que ouvem é o Tony Carreira na grafonola do Mercado de Santana. Se alguma vez foram a um concerto, foram puxadas pelos carros suspeitos. Talvez tenham dançado ao som dos Lords nas festas em honra de Nossa Senhora de Jonet, à freguesia do Auxílio. Olho para as ciganas do meu bairro, este bairro do mundo de Jonet, e imponho-me uma estóica reaprendizagem de ser pobre. Isto de reaprender a ser pobre tem muito que se lhe diga, porque só reaprende a ser pobre quem já o foi e deixou de ser. Quem nunca foi pobre pode não ter sequer que aprender a sê-lo, bastando-lhe sugerir aos que já o foram que voltem a sê-lo. Eu quero ser pobre, eu ambiciono ser pobre, eu desejo ser pobre, preciso que me ensinem a ser pobre. Eu venho-me de austeridade. Por isso me levanto bem cedo, antes de ir para o trabalho, e fico a olhar as ciganas do meu bairro. Masturbo-me a olhá-las – as velhas apanhando caracóis, as novas ganhando para o Nestum – e confesso que tenho vivido acima das minhas possibilidades. Nada devo a ninguém, felizmente, mas a verdade é que vivo acima das minhas possibilidades. Contribuo para o banco alimentar, distribuo cigarros pelos carochos, fumo e bebo e vou ao cinema e ao concerto de rock. Só não vou à missa largar tostão no cesto de verga, não quero exagerar nesta coisa do despesismo. Sou um consumista indefectível, tenho asma, respiro mais do que o necessário, do MEO prescindiria não fosse ter a viver comigo uma família idiota. A minha família é idiota, vive num mundo de Jonet. No mundo de Jonet nós vivemos de uma maneira completamente idiota. Nós somos nós, todos quantos lavam os dentes com a água da torneira a correr. Por exemplo, os idiotas dos filhos da Isabel. As ciganas do meu bairro não são idiotas porque não lavam os dentes, mas os filhos da Isabel são. Eles lavam os dentes. Esperemos que limpem a cera dos ouvidos. Aqueles que foram educados a lavar os dentes com água no copo também são idiotas, pois não souberam educar os seus filhos a fechar a torneira. É provável que esses mesmos filhos prefiram um concerto rock a fazer uma radiografia, o que não se lhes censura. Excepto se for um concerto de Rock in Rio. Há que fazer aqui uma lógica de contabilidade doméstica, há que ir aos concertos do Padre Borga. São mais baratos, poupamos no merchandising. No mundo de Jonet há pobres, mas não há miséria. Há muito Nestum. Três milhões de portugueses entopem os centros de ajuda e os abrigos, dormem na rua, não lavam os dentes, ouvem Padre Borga, beijam a mão caridosa da Isabel, estão robustos, rechonchudos, comem Nestum. É certo que muitos desempregados não vão encontrar uma oportunidade de trabalho porque continuam em casa dos pais a comer Nestum para poderem ir ao concerto de rock, pelo que devíamos de uma vez por todas acabar com os concertos de rock. Só missa e Padre Borga e Isabel no mundo de Jonet, porque dos indigentes será o reino do senhor. Cada um de nós tem de fazer o esforço de olhar para aquilo que vai perder como uma necessidade de voltar ao mais básico, e voltar ao mais básico é ser livre, é ser feliz, é poder dizer que nada se tem a perder porque, na realidade, nada se tem, excepto água no copo para lavar os dentes. E caracóis na erva. Que a sede mata-se por si enquanto Isabel puder cuspir nas nossas mãos.

 

a nossa selecção

Setembro 18, 2012
tags:

a nossa selecção

uma pedra no sapato

Setembro 17, 2012

fuck school

Setembro 8, 2012
tags:

“Perca de confiança politica.”

Foi assim que Maria Reina Martín, Diretora Regional de Educação anunciou à comunidade escolar, que iria dispensar o enorme trabalho que a direção encabeçada pelo Dr. Manuel Cabeça fez nos últimos 2 anos no agrupamento de escolas de Viana do Alentejo.

Não é preciso pensar muito para se perceber que esta senhora tem tanto de dirigente como eu tenho de jogador de bola, na realidade fico a pensar se esta senhora tem capacidade para qualquer coisa que tenha a ver com educação.

Logicamente que estou indignado, por varias razões, em primeiro lugar não compreendo porque é que uma equipa que tem um trabalho meritório de louvor é demitida e em segundo lugar porque não reconheço qualquer capacidade ou prova da equipa que assumiu a direção. Tenho visto muita coisa, mas esta é de bradar aos céus. É o olho do cu comparado com a feira de Borba.

Sem querer estar a comparar trabalho até porque os que saem são profissionais no que fazem e já o provaram a cada aluno, professor ou funcionário, parece-me de muito mau gosto e até abusiva a forma como foram excluídos das suas funções de gestão no Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo. E se assim foi, ansiei com a vinda de uma equipa de reconhecido valor, ainda melhor e com mais provas dadas, afinal era só mais uma boyada.

Eu conheço o Professor Feitor, é meu vizinho de trás e desejo-lhe o melhor sucesso nas suas funções públicas na direção do Agrupamento, a minha pergunta é a seguinte, alguém nesta direção não reconhece o trabalho da anterior direção?

Fico triste por continuar a ver que um cartão de um partido vale mais do que a educação dos nossos filhos. A comunidade escolar está naturalmente ofendida com tamanha atrocidade.

Maria Reina Martín, tás benzida!

Tchau Noody!

Julho 11, 2012

Imagem

A minha relação com o PSD de Évora terminou hoje por volta das 11:00h da manhã, depois de ter sido banido da sua página do facebook, por um senhor um bocado parvo que não aceita uma crítica.

Na realidade eu já vinha de há um tempo para cá a sentir uma vontade estranha de cagar sempre que via o Pedro Passos Coelho na TV e no outro dia vomitei um iogurte a ver o Vitor Gaspar, mas confesso que o PSD de Évora me divertia, os tipos são farruscos, têm piada ao seu jeito. São uns tipos corajosos, com alto gabarito que na dúvida dizem mal de tudo só porque leem jornais e agora são directores de coisas e isso. Logicamente que toda a gente gosta de directores de coisas, eu próprio gostava de um dia ser director, mas tinha que ser do PSD de Évora porque no PSD de Évora é que é.

Os directores do PSD de Évora são naturalmente mais interessantes de discutir do que um chato que nos responde com a sua opinião.

Me – ah e tal, o senhor devia pensar no que escreve.

PSD de Évora – “      “

Me – ãh?

PSD de Évora – clik

Me – page not found??

A minha relação com o PSD de Évora começa logo com o meu avô, que foi quem alugou com o seu nome a casa que hoje é a sede distrital do PSD, permaneceu com o meu pai que foi militante activo durante toda a vida, lutando sempre pelos ideias de liberdade que o PPD já teve, eu próprio fui militante durante uns anos e simpatizante até há bem pouco tempo, mas mesmo muito pouco, ainda fui dos que foram enganados pelo Pedro Passos Coelho, essa Amélia da politica internacional que só tem rival no Canal Panda.

E assim se deu às 11:00h do dia de hoje, um senhor inteligente com alta patente desatou a ser cómico, eu segui o raciocínio e zás, quando dou por mim, já a besta inteligente me tinha banido, nem uma resposta mereci, 40 anos de dedicação familiar deitadas no lixo da democracia e da liberdade.

Logicamente que sou tentado a tratar o senhor que não sei quem é por filho da puta, mas não o vou fazer, Noddy é com certeza um melhor adjectivo, as pessoas gostam do Noddy, da roupa do Noody, dos sapatos do Noody, da cara de parvo do Noody e na realidade o Noody faz muito pouco para além de entreter gente e fazer rir as crianças. Ora era isto que a página do facebook do PSD de Évora significava para mim, um momento de diversão.

O PSD de Évora é o sítio onde a ursa Teresa se junta ao Orelhas, á Boneca Dina, à Macaca Marta e ao Noody para mais uma aventura, o Noody vai de carro e os outros vão a pé a gritar, abram alas pro Noody.

E se não abrirem, olha, bane-se!!

Vão pro caralho!!!

coisas

Maio 18, 2012
tags:

 

Coisas que acontecem por acaso, que me fazem cair da cadeira de tanto rir.

Mina do Bugalho, São Brás dos Matos, Alandroal, 2009

 

enviado para peixebanana@sapo.pt

 

DEMITA-SE PPC

Maio 16, 2012
tags:

Por NICOLAU SANTOS nos comentários do expresso.pt

Senhor Primeiro-ministro, depois das medidas que anunciou sinto uma força a crescer-me nos dedos e uma raiva a nascer-me nos dentes. Também eu, senhor Primeiro-ministro. Só me apetece rugir!…
O que o Senhor fez, foi um Roubo! Um Roubo descarado à classe média, no alto da sua impunidade política! Por isso, um duplo roubo: pelo crime em si e pela indecorosa impunidade de que se revestiu. E, ainda pior: Vossa Excelência matou o País!
Invoca Sua Sumidade, que as medidas são suas, mas o déficite é do Sócrates! Só os tolos caem na esparrela desse argumento.
O déficite já vem do tempo de Cavaco Silva, quando, como bom aluno que foi, nos anos 80, a mando dos donos da Europa, decidiu, a troco de 700 milhões de contos anuais, acabar com as Pescas, a Agricultura e a Industria. Farisaicamente, Bruxelas pagava então, aos pescadores para não pescarem e aos agricultores para não cultivarem. O resultado, foi uma total dependência alimentar, uma decadência industrial e investimentos faraónicos no cimento e no alcatrão. Bens não transaccionáveis, que significaram o êxodo rural para o litoral, corrupção larvar e uma classe de novos muitíssimo-ricos. Toda esta tragédia, que mergulhou um País numa espiral deficitária, acabou, fragorosamente, com Sócrates. O déficite é de toda esta gente, que hoje vive gozando as delícias das suas malfeitorias.
E você é o herdeiro e o filho predilecto de todos estes que você, agora, hipocritamente, quer pôr no banco dos réus?
Diz Vossa Eminência que não tinha outra saída. Ou seja, todas as soluções passam pelo ataque ao Trabalho e pela defesa do Capital Financeiro. Outro embuste. Já se sabia no que resultaram estas mesmas medidas na Grécia: no desemprego, na recessão e num déficite ainda maior. Pois o senhor, incauto e ignorante, não se importou de importar tão assassina cartilha. Sem Economia, não há Finanças, deveria saber o Senhor. Com ainda menos Economia (a recessão atingirá valores perto do 5% em 2012), com muito mais falências e com o desemprego a atingir o colossal valor de 20%, onde vai Sua Sabedoria buscar receitas para corrigir o déficite? Com a banca descapitalizada (para onde foram os biliões do BPN?), como traçará linhas de crédito para as pequenas e médias empresas, responsáveis por 90% do desemprego?O Senhor burlou-nos e espoliou-nos. Teve a admirável coragem de sacar aos indefesos dos trabalhadores, com a esfarrapada desculpa de não ter outra hipótese. E há tantas! Dou-lhe um exemplo: o Metro do Porto.
Tem um prejuízo de 3.500 milhões de euros, é todo à superfície e tem uma oferta 400 vezes (!!!) superior à procura. Tudo alinhavado à medida de uns tantos autarcas, embandeirados por Valentim Loureiro.
Outro exemplo: as parcerias público-privadas, grande sugadouro das finanças públicas.
Outro exemplo: Dizem os estudos que, se V. Ex.ª cortasse na mesma percentagem, os rendimentos das 10 maiores fortunas de Portugal, ficaríamos aliviadinhos de todo, desta canga deficitária.
Até porque foram elas, as grandes beneficiárias desta orgia grega que nos tramou. Estaria horas, a desfiar exemplos e Você não gastou um minuto em pensar em deslocar-se a Bruxelas, para dilatar no tempo, as gravosas medidas que anunciou, para Salvar Portugal!
Diz Boaventura de Sousa Santos que o Senhor Primeiro-ministro é um homem sem experiência, sem ideias e sem substrato académico para tais andanças. Concordo! Como não sabe, pretende ser um bom aluno dos mandantes da Europa, esperando deles, compreensão e consideração. Genuína ingenuidade! Com tudo isto, passou de bom aluno, para lacaio da senhora Merkel e do senhor Sarkhozy, quando precisávamos, não de um bom aluno, mas de um Mestre, de um Líder, com uma Ideia e um Projecto para Portugal. O Senhor, ao desistir da Economia, desistiu de Portugal! Foi o coveiro da nossa independência. Hoje, é, apenas, o Gauleiter de Berlim.

só achei agora

Abril 28, 2012

Parece que o Ermelindo, o Lã Branca e o Da Torre, têm um blogue novo aqui no feudo, que se divirtam no mínimo o que eu me tenho divertido com o peixe banana.

Descontravontade Para seguir aqui

XII Romaria a Cavalo

Abril 28, 2012

Os anos passam a Romaria prossegue, cultura, religião, vaidade, desporto e para o ano há mais. Na verdade o conceito pegou e é um acontecimento que ninguém perde.

A Romaria já é novamente tradição e foi novamente acarinhada por toda a gente. Gostei da animação de rua, especialmente dos músicos e até achei interessante o inquérito à boca do acontecimento, realizado por funcionários do município.

Sem ser mais do que é, a Romaria é no entanto um acontecimento que é falado e comentado por muita gente que passa por Viana do Alentejo nestes dias.

 

Governo espera empregar 3 mil pessoas por mês

Fevereiro 23, 2012

A noticia é do Correio da Manhã, essa pérola jornalística nacional, segundo o jornal, “O Governo quer aumentar em 50% o número de colocações de trabalhadores desempregados até 2013, ou seja dar trabalho a mais três mil pessoas por mês, segundo uma resolução aprovada esta quinta-feira no Conselho de Ministros.”

E é assim, por decreto haverá emprego para milhares. Aplaudo esta medida, não pela qualidade, mas sim pela graça que me dá, no mesmo dia em que milhares de portugueses lutam para manter a empresa, o emprego, a casa, o carro, esta besta politica, Álvaro Santos Pereira, diz que fazendo umas cenas no portal dos centros de emprego se cria emprego.

Bestial. Estúpido, mas bestial. Apetece dizer que é melhor abandonar a empresa, que o Álvaro vai arranjar emprego para a malta, já agora alguém me pode dizer onde?

Fevereiro 8, 2012

“Mania de Merkel” com o défice vai levar a Europa à insolvência

Janeiro 28, 2012

O ex-presidente do governo espanhol Felipe González alertou hoje que “a mania da senhora Merkel” com o défice vai levar toda a Europa à insolvência e “à morte da economia”.

 

O ex-governante, que falava num ato de apoio à candidatura de Alfredo Pérez Rubalcaba à secretaria-geral do PSOE em Madrid, afirmou que o Conselho Europeu de segunda-feira é novamente apresentado como histórico, tratando-se da 14.ª vez que anunciam o mesmo em um ano e dois meses.

Para González, que foi também secretário-geral do Partido Socialista espanhol, era preferível que a reunião de segunda-feira fosse “normalzinha” e que resolvesse dois ou três assuntos, o primeiro dos quais deve ser acabar “com essa mania em que entrou a Merkel” de que o problema da dívida da UE é um problema de solvência.
“Vai tornar-nos a todos insolventes”, alertou, sublinhando que “a habilidade dos neo-conservadores”, que dominaram o cenário político e ideológico nos últimos 20 anos, é fazer esquecer as causas da crise para se centrar apenas nos seus efeitos.

Querem dessa forma, acrescentou, que não se toque nas causas da crise para que continuem hegemónicos no panorama da governação mundial.

Reagindo às declarações de Merkel de que a Europa não pode demorar 10 anos a absorver a dívida, González recordou que as famílias levam 30 anos a pagar uma hipoteca e perguntou por que motivo o défice tem de chegar a 3% em 2013 e não em 2016.

Defendeu que está a esquecer-se que existe um problema de falta de liquidez, que as pequenas e médias empresas “estão a morrer” e está-se a destruir o emprego com “uma cura que leva à morte da economia”.

no negócios online

Janeiro 25, 2012

Anibal, mendigo, o povo está contigo!!

tá-se bem

Janeiro 23, 2012

 

Gabriela Ventura – dirigente do Ministério da Agricultura, gestora do PRODER, numa sessão pública de esclarecimento.
Só faltou um bocadinho para os agricultores ficarem melhor esclarecidos …

Amor burguês

Janeiro 22, 2012

José Luís Peixoto, in revista Visão (Janeiro, 2012)

Havemos de engordar juntos.

 

Normalmente, toda a gente está demasiado preocupada em colocar a barra que diz “cliente seguinte”, estão ansiosos, nervosos, têm medo que aquele que está à frente lhes leve os iogurtes, têm medo de pagar o fiambre daquele que está atrás. Enquanto não marcam essa divisão, não descansam. Depois, não descansam também, inventam outras maneiras de distrair-se. É por isso que poucos chegam a aperceber-se de que a verdadeira imagem do amor acontece na caixa do supermercado, naqueles minutos em que um está a pôr as compras no tapete rolante e, na outra ponta, o outro está a guardá-las nos sacos.

 As canções e os poemas ignoram isto. Repetem campos, montanhas, praias, falésias, jardins, love, love, love, mas esse momento específico, na caixa do supermercado, tão justo e tão certo, é ignorado ostensivamente por todos os cantores e poetas românticos do mundo. Bem sei que há a crueza das lâmpadas fluorescentes, há o barulho das caixas registadoras, pim-pim-pim, há o barulho das moedas a caírem nas gavetas de plástico, há a musiquinha e os altifalantes: responsável da secção de produtos sazonais à caixa 12, responsável da secção de produtos sazonais à caixa 12; mas tudo isso, à volta, num plano secundário, só deveria servir para elevar mais ainda a grandeza nuclear desse momento.

 É muito fácil confundir o banal com o precioso quando surgem simultâneos e quase sobrepostos. Essa é uma das mil razões que confirma a necessidade da experiência. Viver é muito diferente de ver viver. Ou seja, quando se está ao longe e se vê um casal na caixa do supermercado a dividir tarefas, há a possibilidade de se ser snob, crítico literário; quando se é parte desse casal, essa possibilidade não existe. Pelas mãos passam-nos as compras que escolhemos uma a uma e os instantes futuros que imaginámos durante essa escolha: quando estivermos a jantar, a tomar o pequeno-almoço, quando estivermos a pôr roupa suja na máquina, quando a outra pessoa estiver a lavar os dentes ou quando estivermos a lavar os dentes juntos, reflectidos pelo mesmo espelho, com a boca cheia de pasta de dentes, a comunicar por palavras de sílabas imperfeitas, como se tivéssemos uma deficiência na fala.

 Ter alguém que saiba o pin do nosso cartão multibanco é um descanso na alma. Essa tranquilidade faz falta, abranda a velocidade do tempo para o nosso ritmo pessoal. É incompreensível que ninguém a cante.

 As canções e os poemas ignoram tanto acerca do amor. Como se explica, por exemplo, que não falem dos serões a ver televisão no sofá? Não há explicação. O amor também é estar no sofá, tapados pela mesma manta, a ver séries más ou filmes maus. Talvez chova lá fora, talvez faça frio, não importa. O sofá é quentinho e fica mesmo à frente de um aparelho onde passam as séries e os filmes mais parvos que já se fizeram. Daqui a pouco começam as televendas, também servem.

 Havemos de engordar juntos.

 Estas situações de amor tornam-se claras, quase evidentes, depois de serem perdidas. Quando se teve e se perdeu, a falta de amor é atravessar sozinho os corredores do supermercado: um pão, um pacote de leite, uma embalagem de comida para aquecer no micro-ondas. Não é preciso carro ou cesto, não se justifica, carregam-se as compras nos braços. Depois, como não há vontade de voltar para a casa onde ninguém espera, procura-se durante muito tempo qualquer coisa que não se sabe o que é. Pelo caminho, vai-se comprando e chega-se à fila da caixa a equilibrar uma torre de formas aleatórias.

 Quando se teve e se perdeu, a falta de amor é estar sozinho no sofá a mudar constantemente de canal, a ver cenas soltas de séries e filmes e, logo a seguir, a mudar de canal por não ter com quem comentá-las. Ou, pior ainda, é andar ao frio, atravessar a chuva, apenas porque se quer fugir daquele sofá.

 E os amigos, quando sabem, não se surpreendem. Reagem como se soubessem desde sempre que tudo ia acabar assim. Ofendem a nossa memória.

 Nós acreditávamos.

 Havemos de engordar juntos, esse era o nosso sonho. Há alguns anos, depois de perder um sonho assim, pensaria que me restava continuar magro. Agora, neste tempo, acredito que me resta engordar sozinho.

 

José Luís Peixoto, in revista Visão (Janeiro, 2012) – aqui

Surplus – excesso, superprodução, insustentabilidade

Janeiro 21, 2012

Por uma Internet Livre

Janeiro 18, 2012
tags:

Para quem não esteja ao corrente dos eventos, os EUA estão a ponderar a aprovação de duas novas leis:
Protect IP e SOPA (Stop Online Piracy Act).

Destas, a mais famosa é a SOPA, provavelmente por ser mais radical que a sua “irmã”, apesar de serem ambas semelhantes.

Estas leis têm por objectivo dar às empresas, neste caso às indústrias do entretenimento, música, cinematográfica e afins, formas de proteger as suas propriedades intelectuais.

A ideia á permitir que as empresas reportem violações das suas propriedades intelectuais, tal como já o fazem hoje em dia, mas que tenham o poder de bloquear o DNS do site.
Ou seja, um site, mesmo que esteja alojado fora dos EUA, e portanto salvaguardado a nível legal, fica inacessível nos EUA.

Imagine que uma adolescente coloca um vídeo no YouTube de si mesma, em que se ouve no fundo uma música. Pode ser considerado pirataria. De acordo com a lei, o Youtube pode ser então bloqueado. Sites que vivem de conteúdo gerado por utilizadores correm sério risco de censura.
Facebook, Reddit, Vimeo, YouTube, Digg e muitos outros podem vir a sofrer consequências.

Mas isto só afecta americanos, porque nos devemos nós portugueses, tão longe de tudo isto, preocupar-nos?

Ora, se os sites correm risco de censura, é normal que se auto-censurem primeiro, para evitar serem bloqueados.
Imagine-se as pesquisas no Google a serem filtradas antes de chegarem a nós.

A Internet terá um lado obscuro.

Várias entidades, muitas das quais de grande importância já mostraram as suas posições contra e a favor.
Wikipedia, Google, Facebook, e muitos outros.

Há mesmo quem considere criar uma rede alternativa, baseada em proxies para contornar o sistema.

Entretanto a Amazon, Google, eBay, AOL e Facebook terão chegado a um consenso para desligar os seus servidores dia 23 de Janeiro em protesto contra esta lei anti-pirataria da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos mas tudo não passa de rumores.

As empresas que se poderiam juntar a estes protestos são:
AOL, eBay, Etsy, Facebook, Foursquare, Google, IAC, LinkedIn, Mozilla, OpenDNS, PayPal, Twitter, Wikimedia Foundation, Yahoo! e Zynga.

Esperemos que esta lei não passe porque se passar a Internet não vai ser a mesma.

Por uma Internet Livre !!!

fonte

%d bloggers like this: