Saltar para o conteúdo

RAZÕES PARA A CENSURA

Fevereiro 12, 2011

Alvaro Santos Pereira no Desmitos

Nas próximas semanas vamos debater até à exaustão as razões da moção de censura do Bloco de Esquerda, bem como se o PSD e o CDS devem aprovar um texto que terá certamente uma forte componente ideológica para poderem derrubar o governo. É claro que o timing interessa até porque um dia após a votação da moção, no dia 11 de Março, a Europa irá debater os mecanismos de reforço do FEEF. A recente instabilidade nos mercados financeiros será igualmente utilizada pelo governo para se vitimizar e para acusar a oposição de falta de patriotismo. No entanto, e independentemente, do texto da moção, ou de saber se o “FMI” chega em Março ou em Maio (ou até de saber se a Europa vai fazer do papel do FMI), não seria mais racional pensarmos no estado a que o país chegou? Para quem não sabe, aqui vão uns gráficos que ilustram bem a situação actual:

1) A média do crescimento económico é a pior dos últimos 90 anos

Fonte: Santos Pereira (2011)

 

2) A dívida pública é a maior dos últimos 160 anos

Dívida pública portuguesa em % do PIB, 1850-2010

Fonte: Santos Pereira (2011)

 

3) A dívida externa é, no mínimo, a maior dos últimos 120 anos (desde que o país declarou uma bancarrota parcial em 1892)

Dívida externa bruta em % do PIB, 1999-2010

Fonte: Santos Pereira (2011)

 

4) O desemprego é, no mínimo, o maior dos últimos 80 anos. Temos 610 mil desempregados, dos quais 300 mil são de longa duração

Taxa de desemprego em Portugal, 1932-2010

Fonte: Santos Pereira (2011)


5) Voltámos à divergência económica com a Europa, após décadas de convergência

PIB per capita português em % do PIB per capita da Europa Avançada

Fonte: Santos Pereira e Lains (2010)

 

6) Vivemos actualmente a segunda maior vaga de emigração dos últimos 160 anos

Emigração portuguesa (milhares de pessoas), 1850-2008

Fonte: Santos Pereira (2010)

 

7) Temos a taxa de poupança mais baixa dos últimos 50 anos

Taxa de poupança bruta, 1960-2010

Fonte: AMECO, Santos Pereira (2011)

 

Isto já para não falar naquilo que se transformou a Justiça, nos problemas constantes e no facilitismo reinante no sector da Educação, no abuso inter-geracional que foi feito com as parcerias público-privadas, no endividamento recorde da economia nacional, no despesismo e no compadrio do Estado, entre muitos, muitos outros problemas. Por outras palavras, as verdadeiras razões de uma censura ao governo são muito claras. Muito claras mesmo. Só não vê quem não quer.

2 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    Fevereiro 13, 2011 01:12

    Nos anos cinquenta é que estávamos bem. Não devíamos nada a ninguém mas andávamos quase todos descalços.
    Vamos todos para a China que lá é que se vive bem. Têm um crescimento económico quase imbatível.

    • Anónimo permalink
      Fevereiro 13, 2011 13:23

      Haveria coisas boas, mas com tanta emigração se calhar era ilusória, os gráficos quando vistos em conjunto fazem todo o sentido, e a tendência dos últimos anos é arrasadora. Devíamos responsabilizar este governo, bem como os seus representantes a prestarem contas pela sua incompetência.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: