Skip to content

Farts are jazz to assholes

Outubro 30, 2011
tags:

 

“não passem pela vergonha de terem um campo de jogos no qual não podem competir, tendo que se deslocar a Viana.”

Estevão Pereira, in reunião de Câmara de Viana do Alentejo de 12.10.2011

 

Vergonha, caro Vereador, devia ter você, pois, depois de 16 anos em que se limitou aos mínimos para a Vila de Aguiar, proferir tamanha estupidez em sede de assembleia que por acaso e felizmente até ficou registada para a posteridade.

A sua preocupação para com o povo de Aguiar só tem paralelo com a relação que mantém com o seu umbigo. Já por várias vezes referi em comentários anteriores que o tamanho do seu EGO se sobrepõe a tudo o que você é na realidade e se em tantos anos fez alguma coisa pelo concelho (e não nego que o tenha feito), hoje todos começamos a ver a inteligência parda que tínhamos à frente do Município. Na verdade falar depressa nem sempre é sinónimo de falar bem, até porque no meio de tanta palavra, surgem-nos sempre estas pérolas da limitação do pensamento moderno.

Na verdade esta equipa autárquica, tem preocupações legítimas, pena que o esteja a fazer em condições muito adversas, mas com uma preocupação, agradar às populações, trabalhar com as Juntas de Freguesia e deixar obra feita.

Não acredito que uma pessoa no seu perfeito juízo possa ter este tipo de atitude perante uma população que na realidade nada ganhou com a sua estadia nos paços do concelho, foi neste constante clima de rivalidade que foi ganhando eleições, separando as freguesias do concelho e o concelho do país, até ao dia em que olhou à volta e se deparou com um monte de coisas que se estavam a passar aqui à volta. A culpa é sempre de alguém e nada como arregimentar insatisfações num concelho pobre com muitos problemas sociais e económicos.

Não tenho nada de pessoal contra si, tenho contra o que fez e pelos vistos ainda quer continuar a fazer, gabo-lhe a força de vontade e o espírito combativo, mas não lhe reconheço qualquer capacidade de gestão e sinceramente estranho que um partido como a CDU ainda o mantenha nesse cargo, onde acta após acta o vão despindo até ao dia em que toda a gente vai dizer: – “O rei vai nu”

Para mim já vai nu há muito tempo.

O povo de Aguiar merece mais respeito, tal como o povo de Viana ou das Alcáçovas, somos muito poucos num concelho pequeno, unidos valemos muito mais do que separados.

 

 

9 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    Outubro 30, 2011 20:59

    Este Estevão é uma verdadeira anedota

  2. Anónimo permalink
    Outubro 30, 2011 23:48

    Neste momento o “camarada” Estêvão deixou-se enlear na teia de solidariedades do PCP.
    O que o partido decidir em 2013, goste ele muito ou pouco, terá de repetir o discurso oficial.
    A ambição toldou-lhe a visão, deixando-se cair completamente desamparado.

  3. Anónimo permalink
    Outubro 31, 2011 08:09

    Na minha opinião a acta que o Sr. se refere deveser muito bem analisada pelas palavras proferidas pelo vereador João Pereira, naquela acta cai-lhe completctamentea mascara e ve-se que para ele existe a freguesia das Alcáçovas tudo o resto não importa. Mostra um desrespeito enorme pelos jovens e pela população de Aguiar.

  4. Anónimo permalink
    Outubro 31, 2011 20:30

    «O povo de Aguiar merece mais respeito,tal como o povo de Viana ou das Alcáçovas» esta frase está escrita no ultimo parágrafo deste magnifico artigo, parido pelo peixe banana, ou seja, pelo pai do projecto do respectivo «já não sei se pavilhão se de outra coisa qualquer» porque depois de ler a acta da reunião de Câmara, fiquei sem perceber se é para fazer alguma coisa a sério ou é só para brincar.
    No que diz respeito ás dimensões do campo de jogos,essa questão foi colocada na reunião,e o sr. Arquitecto Luís Pedro respondeu que o campo tinha as medidas mínimas, ouvido essa resposta todos os presentes subentenderam que ele se estava obviamente a referir a medidas oficiais,e que estas permitissem a realização de jogos oficiais, afinal ou não sabia quais as medidas,ou não lhe interessou esclarecer os presentes,ou então não teve por eles o respeito que ele tanto apregoa.
    Durante o ultimo mandato ouve algumas pessoas, e não a população de Aguiar como diz o Sr. vereador Manzoupo na reunião de Câmara, que se manifestaram contra a construção dum pavilhão no espaço ocupado pelo ringue,gostava agora de saber qual a opinião dessas mesmas pessoas, no que diz respeito à construção dum edifício que eles próprios se tiverem filhos federados e os quiserem ver competir terem de se deslocar a Viana para os apoiarem.

    • Novembro 1, 2011 00:49

      Em primeiro lugar não acho que este seja o melhor sitio para discutir o assunto, no entanto posso de alguma forma reproduzir o que foi dito nas várias apresentações sobre o estudo prévio de um projecto idealizado pelo executivo e executado pelo grupo de trabalho a que pertenço e a quem foi pedido esse mesmo projecto.
      O Projecto em questão surgiu com a possibilidade de através de um programa especifico se poder executar uma obra com características próprias. Assim nasceu o que se chamou inicialmente o Centro Comunitário de Aguiar e que mais tarde se transformou num Multiusos por uma questão de nomenclatura para a candidatura.
      Para começar, não existem neste momento programas de apoio a estruturas desportivas como as que existem em Viana ou nas Alcáçovas, por outro lado mesmo que existissem, não acredito que num concelho com 5700 habitantes se desse algum credito à construção de um 3º pavilhão gimnodesportivo coberto, mais, como eleitor deste concelho acho disparatado falar numa coisa dessas, Aguiar é uma pequena vila com aspirações a poder ser maior, mas quer tudo e nunca fica com nada.
      Este projecto nasceu de uma ideia deste executivo e de uma grande vontade por parte do Vereador Paulo Manzoupo. A ideia tem como base uma pré existência, ou seja, um terreno urbano localizado exactamente na convergência dos dois edifícios escolares de Aguiar que é propriedade da câmara municipal, destina-se ao apoio cultural e desportivo dos jovens e menos jovens e é por si só um projecto totalmente diferente de um pavilhão gimnodesportivo coberto como aquele que estava projectado anteriormente pelo Arquitecto Carlos Marques.
      Terá uma nave independente com uma estrutura leve, que encerra o pavilhão polivalente ou multiusos, este pavilhão possui medidas que possibilitam a pratica desportiva, de acordo com as regras subjacentes à pratica de futebol de salão, bem como de outros desportos, na ultima reformulação está a ser projectada uma bancada com um numero muito maior de lugares na lateral e tem como apoio, balneários masculinos e femininos e ou em alternativa de visitado e visitante com instalações sanitárias e zonas de apoio, tais como arrumos e zonas técnicas, possui também uma ligação ao exterior para pesados.De referir que o espaço sobrante entre a linha final e a parede do pavilhão nunca será inferior a 1,5 metros. Este espaço não encerra no entanto a sua missão enquanto espaço desportivo, pois permite a sua utilização noutros conceitos, estando prevista a sua utilização para as artes cénicas, festas, concertos, etc. Este espaço proporciona também uma mais valia para as crianças em idade escolar que poderão ter um espaço desportivo para praticarem as actividades desportivas no âmbito escolar ou associativo com todas as condições.
      O resto do edifício é complementado por uma biblioteca ou centro de leitura como lhe prefiro chamar 3 vezes maior do que a existente, com mediateca, zona de estudo, zona de internet e espaços de serviços e um centro de voluntariado.
      O edifício insere-se na malha urbana de uma forma simples reforçando a ligação das escolas, bem como preservando a memoria do local, através da sua implantação no terreno onde não foram esquecidas as pedras onde vai descansar. Com uma génese contemporânea não renega a sua inspiração, indo beber no casario branco de linhas simples a forma e a poesia. Todo o interior é composto por grandes planos de vidro que não têm visibilidade do exterior, encerrando em si mesmo num volume com identidade própria.

      Em todas as ocasiões tive sempre todo o respeito pelas pessoas que me colocaram questões e estive em todas as ocasiões preocupado por satisfazer as necessidades, em nenhuma ocasião tratei alguém com desrespeito, não omiti nenhum facto, tendo fornecido sempre cópias em papel tanto aos representares da junta como aos gestores do município. a forma como foi tratado todo este processo foi bastante linear e em todas as reuniões houve um consentimento expresso por todas as entidades envolvidas, Município, associações, Junta de Freguesia e alguns munícipes que se quiseram interessar pelo projecto.

      Por fim gostava que soubesse que também tenho filhos e que não me envergonha, antes pelo contrario, que se algum dia tiverem que representar o seu clube ou associação no pavilhão de Viana do Alentejo, será uma honra para mim. Tal como será, poderem praticar desporto num espaço condigno no seu dia a dia e poderem frequentar um espaço de cultura com um calendário de actividades.

      Só para terminar, não é por ter sido a minha equipa a fazer este projecto, mas penso que é um projecto com pés e cabeça para a nossa vila, vai mais além do que seria a imbecilidade de mais um pavilhão gimnodesportivo no concelho de Viana.

      Obrigado pelo seu comentário, espero que o meu tenha sido útil.

  5. Anónimo permalink
    Novembro 1, 2011 14:29

    Ainda bem que a CDU comprou este terreno caso contrário, nem com medidas nem sem medidas ia haver pavilhão e assim não sabemos se haverá. Há demasiada conversa para pouca obra realizada. É só fogo de artificio

    • Anónimo permalink
      Novembro 3, 2011 10:31

      Havia que fazer o favor a um certo camarada, né?

  6. Aguiarense com netos permalink
    Novembro 1, 2011 17:39

    Os residentes de Aguiar necessitam mais do que nunca de uma creche onde deixar os os seus descendentes. Temos filhos, trabalhamos em Évora e os nossos ascendentes não serão, eventualmente, a melhor escolha para ficar com as crianças. Há muito que alguém começou um projeto, e do que vemos aqui em Aguiar praticamente esta feito, se não abre é falta de má vontade. Seria o senhor responsável, ou será, dar cabalmente resposta ao projeto iniciado. Os tempos mudam, as pessoas mudam, mas sem dúvida, a continuidade será (na minha parca opinião) sempre dada a causas de interesse da comunidade. E se muitos se pautam por esses ideais mas nada o fazem e se desinteressam, temos pena, mas terão que dar lugar a outros. Trabalho de escritório há muito quem o faça.

    • Novembro 1, 2011 18:23

      O caso da cresce de Aguiar não o conheço de perto, só do que ouço falar, até aos 3 anos e porque não tenho familiares em Aguiar tive que contratar alguém que tomasse conta das minhas filhas a tempo inteiro o que de certa forma é um transtorno económico para qualquer família, hoje, da forma como vão os tempos penso que este apoio seja ainda mais necessário. Este projecto é um projecto da Santa Casa de Misericórdia de Viana do Alentejo, não conheço o projecto nem a obra, por esse mesmo motivo a única coisa que posso fazer é falar no caso tal como você o fez agora aqui comigo. No entanto um blogue não é o caminho mais directo, penso que através de uma visita à Santa Casa se possa esclarecer acerca do que pretende a Santa Casa da Misericórdia fazer em Aguiar.
      Vou fazer um post para que aqui se possa debater a questão. Obrigado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: